domingo, 6 de janeiro de 2008

this mortal coil: "I Come And Stand At Every Door"

Eu venho e paro em todas as portas,
mas ninguém ouve meu silencioso temor.
Eu bato e ainda assim permaneço sem ser vista
Porque eu estou morta. Porque eu estou morta.
Eu só tenho sete anos, embora eu tenha morrido
Em Hiroshima a muito tempo trás.
Tenho sete anos agora como tinha na época.
Quando as crianças morrem, elas não crescem.
Meu cabelo foi chamuscado pela chuva silenciosa.
Meus olhos enfraqueceram. Meus olhos morreram.
A Morte veio e transformou meus ossos em poeira
E ela foi carregada pelo vento.
Eu não preciso de comida. Eu não preciso de arroz.
Eu não preciso de doces, nem mesmo de pão.
Eu não peço nada para mim mesma,
Porque eu estou morta. Porque eu estou morta.
Tudo que eu peço é por paz.
Você luta hoje. Você luta para morrer.
Então, que as crianças do mundo
Possam viver e rir e amar e brincar.
---xXx---
Manda, obrigado por alegrar aquele dia manco de trabalho. Nesses momentos, eu amo o acaso. Que ele nos leve a mais risos despropositados e a mais discussões de adulto com risos de criança. E lembrando: Deus não é bom, e nem é gótico. Quem é bom é o povo!!!
Amizade verdadeira: recomendada para momentos de tristeza crônica.


Laibach: "Wat (iTurk Mix)"

2 comentários:

Amanda Bia disse...

que texto triste!!!
foi muito bom te encontrar! até postei sobre isso no dia, hehehe!
te amo!
beijos!

Nanah* disse...

Nunca ouvi essa banda! Baixou Norah Jones???
Saudades !!! Preciso te dar uma pedrinha que eu comprei em Ilhabela pra tu!
Vou aparecer para ver a moby dick. Te aviso!
Bjus